Dia Mundial das Zoonoses 

Proteger a saúde dos nossos animais também é proteger a nossa saúde 

Hoje assinala-se o Dia Mundial das Zoonoses, uma data crucial para a saúde pública global. Este dia foi escolhido em homenagem ao aniversário da primeiro utilização bem-sucedida da vacina contra a raiva pelo cientista francês Louis Pasteur, em 1885. No entanto, a sua relevância transcende este marco histórico, destacando-se como um momento de reflexão sobre a importância do controlo das zoonoses — doenças que podem ser transmitidas entre animais e humanos. 

As zoonoses incluem algumas das doenças mais conhecidas e temidas, como a raiva, a gripe aviária, a doença de Lyme e, mais recentemente, a COVID-19. Estas doenças não só afetam a saúde humana e animal, mas também têm um impacto significativo na nossa economia e nos nossos ecossistemas e representam uma ameaça constante devido à sua capacidade de ressurgir sob novas formas e difundir-se rapidamente. A COVID-19 é um exemplo claro de como uma zoonose pode paralisar o mundo, causando milhões de mortes e desencadeando crises económicas e sociais. A vigilância e controlo das zoonoses são, portanto, cruciais para evitar futuras pandemias. 

Para a sua aparição e disseminação podemos incluir factores como a desflorestação, a urbanização descontrolada, as alterações climáticas e o comércio ilegal de animais selvagens. Estas atividades humanas afetam negativamente os habitats naturais, aproximando e , como consequência, aumentando o contacto entre os animais selvagens, os animais domésticos e os humanos, criando condições propícias para a transmissão de doenças. 

Os animais de companhia, como cães e gatos – que desempenham um papel central nas nossas vidas, proporcionando-nos companhia, amor e apoio emocional – , também podem ser portadores de zoonoses. Doenças como a toxoplasmose, a leptospirose e a raiva são exemplos de doenças que nos podem ser transmitidas pelos animais de companhia. 

É vital que os tutores estejam conscientes dos riscos e tomem medidas preventivas. A vacinação regular, a desparasitação e boas práticas de higiene são essenciais para minimizar o risco de transmissão de doenças. Consultar regularmente o veterinário e manter um registo atualizado das vacinas e tratamentos dos animais de companhia são passos fundamentais para garantir a saúde tanto dos animais como dos humanos. 

E como é que podemos controlar estas zoonoses? Em primeiro lugar, é indispensável uma abordagem multifacetada, que inclua a vigilância e monitorização, estabelecendo sistemas fiáveis para a deteção precoce e monitorização de zoonoses emergentes. É também muito importante a educação e sensibilização, através de campanhas que informem o público sobre as zoonoses e as medidas preventivas. A colaboração interdisciplinar, seguindo a abordagem de One Health, é crucial, implicando a cooperação entre veterinários, médicos, cientistas e autoridades de saúde pública para desenvolver e implementar estratégias integradas. Paralelamente, políticas e regulamentações rigorosas são essenciais para proteger os habitats naturais e regulamentar o comércio de animais selvagens. Por último, mas não menos importante, é imprescindível o investimento contínuo na investigação de novas vacinas, tratamentos e métodos de diagnóstico para zoonoses. 

Este dia é, sem dúvida, um lembrete oportuno sobre o frágil equilíbrio do nosso planeta e a importância do controlo destas doenças para preservar a saúde global. Proteger a saúde dos nossos animais também é proteger a nossa saúde – ao promover práticas responsáveis e uma colaboração entre diferentes setores, podemos mitigar os riscos das zoonoses e assegurar um futuro mais saudável, sustentável e seguro para todos. 

Tens um projeto transformador?

Inscreve o teu projeto a partir de

início de setembro

Queres ser avisado da abertura das candidaturas?

Deixa-nos o teu email.